top of page

APAE Anápolis é eleita pela 6a vez uma das 100 Melhores ONGs do Brasil e a Melhor de Goiás


Depois de ser reconhecida pelo 6° ano consecutivo uma das 100 melhores ONGs do país, a APAE Anápolis acaba de receber também o prêmio de Melhor ONG do Estado de Goiás. Esta é a segunda vez que a instituição recebe o título, criado no ano passado. Antes, havia um prêmio para a região Centro-Oeste, o qual a APAE vinha conquistando também em primeiro lugar.


Os vencedores nessas categorias especiais foram anunciados durante o Festival Internacional de Inovação Social (Fiis), no Centro Unibes Cultural, em São Paulo, que voltou a ser presencial depois de duas edições on-line, por causa da pandemia. Para recebere os dois troféus, estiveram presentes na cerimônia o presidente da APAE Anápolis, Vander Lúcio Barbosa e a superintendente Nancy Oliveira.

O Prêmio Melhores ONGs foi criado para ajudar potenciais doadores na escolha de instituições filantrópicas que sejam reconhecidas por suas boas práticas em quesitos como governança, transparência, comunicação e financiamento. É realizado pelo Institutos “O Mundo que Queremos”, “Doar” e pelo “Ambev VOA”, com apoio de pesquisadores da Fundação Getúlio Vargas (FGV), do Instituto Humanize e da Fundação Toyota do Brasil.

Vander Lúcio agradeceu o empenho de todos os colaboradores da APAE Anápolis, da sociedade organizada e dos poderes Legislativo, Executivo e Judiciário, além da grande quantidade de apoiadores pessoa física e jurídica, que contribuíram para o sucesso da instituição, que esse ano completou 53 anos de fundação. “Nada disso seria possível sem a participação de todos. Levar o nome da APAE Anápolis para além dos limites da nossa cidade é também engrandecer o nome de Anápolis como cidade destaque no terceiro setor, o que nos orgulha muito”, declarou ele.


“A lista das 100 Melhores ONGs é uma homenagem às organizações que conseguiram atingir o grau mais alto de gestão e eficiência para ajudar a sociedade em suas causas. Elas são feitas de pessoas que tiveram a determinação e a liberdade para atuar em prol de uma causa justa”, afirma Alexandre Mansur, diretor de projetos do Instituto “O Mundo Que Queremos”. Ele ressalta que, essas organizações, com sua diversidade de áreas de atuação, mostram o papel fundamental que os cidadãos têm numa democracia para se reunir e atuar para melhorar a sociedade e o meio ambiente.


Já o diretor do Instituto Doar, Marcelo Estraviz, disse em tom bem humorado: “Estamos felizes de poder voltar ao presencial e celebrar juntos”, completa. “Passamos um pente fino nessas instituições e, se as pessoas não doavam porque não sabiam qual ONG era merecedora de confiança, agora não tem mais desculpa”.


Curtiu nosso conteúdo?

Torne-se um amigo apaeano!

Saiba mais

bottom of page