ba0784_3e6ed7162ee34110a3bb44f5547d76d8~mv2_d_2592_1728_s_2

APAE Anápolis é homenageada pela Câmara dos Vereadores por seu tricampeonato no Prêmio Melhores ONGs

Em sessão solene realizada no dia 06 de dezembro pela Câmara Municipal de Anápolis, a APAE Anápolis recebeu moção de aplauso pelo seu tricampeonato como uma das 100 melhores ONGs do Brasil, prêmio realizado a três anos pelo Instituto Doar e Rede Filantropia.

De autoria do vereador Lélio Alvarenga, a sessão proposta foi votada e aceita pela casa por unanimidade.

Durante a solenidade estiveram presentes gestores, colaboradores e alunos da instituição.

A fim de parabenizar a APAE, vereadores presentes fizeram uso da palavra e ressaltaram a importância da instituição para a comunidade anapolina, bem como para todo o Estado. O presidente da APAE, dr. Hélio Lopes, discursou sobre como são realizadas as etapas da premiação e ressaltou os pontos-chave de avaliação que levaram ao resultado. Falou também da importância do prêmio para a região e como a busca pelo reconhecimento faz com que as instituições que participam, procurem melhorias em sua gestão e demais pontos avaliados.

A sessão foi encerrada com aplausos e com a entrega simbólica de um certificado ao presidente da instituição.

Fotos: Ismael Vieira/ @Ismaelrvieira e Alba Valéria

ba0784_79e66a29076e4fb8834a9b5dddc07238_mv2

Famílias da APAE Anápolis recebem cestas básicas do projeto Rede Solidária

A APAE Anápolis entregou ontem, 18 de agosto, cestas básicas para algumas famílias atendidas pela escola da instituição. A doação foi realizada através do FIMTPODER – Fórum Goiano de Inclusão no Mercado de Trabalho das Pessoas com Deficiência e dos Reabilitados pelo INSS, através da FEAPAES – Federação do Estado de Goiás.

A Federação distribuiu a doação de 550 cestas, optando por fazer um sorteio para a escolha de 22 filiadas entre as 51 existentes no Estado, haja vista que todas as filiadas possuem real necessidade de receberem as cestas básicas. A Apae Anápolis foi uma das contempladas.

O serviço de assistência social da APAE Anápolis selecionou algumas famílias carentes para receberem a doação. “Essa doação foi de primordial importância para essas famílias em meio a essa crise pandêmica, muitas se encontram em situação de vulnerabilidade neste momento e toda doação é muito bem-vinda.” disse Nancy Oliveira, superintendente da instituição.

ba0784_d340eedca19b4872ada6fc1e12f1849e~mv2

No dia 06 de junho é comemorado o Dia Nacional do Teste do Pezinho

No dia 06 de Junho, é celebrado o Dia Nacional do Teste do Pezinho em comemoração à publicação da portaria N° 822 (Consolidada N° 5) pelo Ministério da Saúde que instituiu o Programa Nacional de Triagem Neonatal, e durante todo o mês é compartilhada a campanha Junho Lilás em todo o Brasil.

O Teste do Pezinho é direito de toda criança nascida em território nacional. Realizado gratuitamente a partir de 48 horas de vida do recém-nascido nas maternidades/hospitais públicos e privados, na alta hospitalar, caso não seja possível, os pais podem procurar as unidades básicas de saúde ou a APAE Anápolis, serviço de referência do Estado de Goiás.

O Teste do pezinho pode detectar doenças graves, que se não tratadas precocemente, podem deixar sequelas no desenvolvimento e crescimento da criança e em alguns casos, pode haver óbito.

A doenças mais graves e triadas pelo teste do pezinho (gratuito) realizado pelo SUS são a Fenilcetonúria, o Hipotireoidismo Congênito, a Anemia Falciforme e outras Hemoglobinopatias, Fibrose Cística, Hiperplasia Adrenal Congênita e Deficiência de Biotinidase.

A APAE Anápolis é credenciada pelo Ministério da Saúde como referência em Goiás para a sua realização. Em seu laboratório as coletas são recebidas de todo o Estado e processadas em equipamentos modernos, de última geração. Os profissionais da APAE Anápolis são especializados e capacitados a realizar todos os exames com a mais absoluta segurança.

Se a criança apresenta um resultado alterado, o Laboratório da APAE Anápolis entra imediatamente em contato com a família para a realização de exames complementares de confirmação ou afastamento da possibilidade da doença. Caso seja confirmado o diagnóstico, a APAE Anápolis através do seu Ambulatório Multidisciplinar Especializado (AME) orienta os responsáveis e oferece tratamento e acompanhamento adequados, possibilitando à criança uma melhor qualidade de vida.

Teste do Pezinho – Sistema único de Saúde-SUS

Doenças triadas:
1. Fenilcetonúria

É uma doença genética de desordem autossômica recessiva, causada pela deficiência parcial da enzima fenilalanina-hidroxilase que metaboliza a fenilalanina. A introdução de uma dieta com baixo teor de fenilalanina e uma alimentação restrita de alimentos proteicos deve ter início nos primeiros meses de vida para evitar a deficiência intelectual, manifestações clínicas mais severas da doença como distúrbios motores e de comportamento, epilepsia e deficit de estatura, entre outros.

2. Hipotireoidismo Congênito

O hipotireoidismo congênito (HC) é uma síndrome clínica hereditária causada por deficiência de hormônios tireoidianos, resultando em redução generalizada de processos metabólicos. Na maioria das vezes (90%), é causada por anomalia na embriogênese, seguida por erros metabólicos da função tireoidiana de herança autossômica recessiva. Como consequência, aparecem alterações do crescimento e do desenvolvimento, sendo uma das mais frequentes causas tratáveis de deficiência intelectual, e se não tratada antes de apresentar qualquer sintoma, resultará em deficiência intelectual e/ou física de diversos graus, definitiva e irreversível momento ideal para o diagnóstico do Hipotireoidismo Congênito é o período neonatal, pois se sabe que a partir de 4 semanas de vida, a deficiência de hormônios tireóideos já pode causar alguma lesão neurológica.


3. Doenças Falciformes e outras hemoglobinopatias

A doença falciforme é uma doença hereditária caracterizada pela alteração das hemácias no sangue, devido à produção da hemoglobina S; tornando as hemácias parecidas com uma foice. Essas células têm sua membrana alterada e rompem-se mais facilmente, causando anemia e obstrução vaso-oclusivo. Quando descoberta a doença, o bebê deve ter acompanhamento médico adequado baseado num programa de atenção integral. Os pacientes devem ser acompanhados por toda a vida por uma equipe com vários profissionais treinados para orientar a família e o doente a descobrir rapidamente os sinais de gravidade da doença, a tratar adequadamente as crises e a praticar medidas para sua prevenção.


4. Hiperplasia Adrenal Congênita

Essa doença ocorre por um bloqueio num ponto da síntese do hormônio cortisol. Em função disso, a glândula hipófise produz grandes quantidades de hormônio ACTH, que acaba estimulando a síntese exagerada de hormônios masculinizantes, neste o hormônio testosterona fica elevado e a menina afetada nasce com a genitália em graus variados e se não for bem avaliada pode passar como sendo do sexo masculino. Já os meninos podem nascer sem nenhuma alteração aparente dificultando o diagnóstico clínico. Muitas vezes, tanto em meninos quanto em meninas, ocorre um problema agudo no controle do metabolismo em decorrência da deficiência da enzima 21 hidroxilase sendo conhecida como forma clássica perdedora de sal afetando 90% dos recém-nascidos com HAC causando desidratação ou outros problemas, que são graves e até letais se não tratados precocemente.


5. Fibrose Cística

A fibrose cística (FC) é uma doença genética autossômica recessiva causada por mutações em um único gene localizado no braço longo do cromossomo 7, que afeta as células epiteliais de vários órgãos, incluindo o trato respiratório, pâncreas exócrino, intestino, canais deferentes, sistema hepatobiliar e glândula sudorípara exócrina, resultando em alteração em vários órgãos. Embora predomine na população caucasiana, pode estar presente em todos os grupos étnicos. A triagem é feita pela dosagem da Tripsina Imuno Reativa (TIR) em papel filtro e o diagnóstico é confirmado pela concentração elevada de cloro no suor ou quando são detectadas duas mutações para FC em estudo genético. O tratamento deve ser iniciado o mais cedo possível e consiste em administrar antibióticos para combater a infecção pulmonar, enzimas pancreáticas, vitaminas, fisioterapia respiratória, inalações diárias e uma dieta hipercalórica, hiperproteica e hiperlipídica, com a finalidade de aumentar a sobrevida e proporcionar ao paciente uma melhor qualidade de vida.


6. Deficiência da Biotinidase

É uma doença metabólica tratável na qual o organismo não consegue obter a vitamina BIOTINA da maneira adequada. A falta de tratamento pode acarretar convulsões, hipotonia, ataxia, problemas respiratórios, atrofia ótica, perda auditiva sensorial e deficiência intelectual. O tratamento consiste na ingestão de Biotina e o diagnóstico precoce assegura ao bebê uma vida normal sem qualquer sintoma da doença.

ba0784_6eb10649546d47b2b2290b4c0d84becc~mv2

Rubens Otoni é homenageado com o Certificado Amigo Apaeano

Texto: José Aurélio MendesJornal Contexto

É de domínio público a importância da Apae Anápolis, não só para a cidade, mas para todo o Estado de Goiás, quando o assunto é saúde pública e educação especial. Só Testes do Pezinho, são feitos mais de 7 mil por mês. Entretanto, a Apae segue deficitária em suas finanças desde 2004, quando o SUS estabeleceu uma contrapartida de R$ 39,90 por cada teste, frente a um custo de R$ 55,50. Ou seja, são mais de R$ 1,3 milhão de reais de prejuízo todos os anos, apenas nessa prestação de serviço. Uma situação absolutamente insustentável, que já teria feito qualquer laboratório particular fechar as portas.

Segundo o presidente da Apae Anápolis, jornalista Vander Lúcio Barbosa, a instituição só consegue seguir em frente graças às doações de centenas de amigos e também as emendas parlamentares feitas por deputados estaduais e federais comprometidos com a causa. “São providências muito importantes que precisam ser reconhecidas pela Apae e por toda a sociedade”, ressalta.

Por isso, foi criado recentemente o Certificado do Amigo Apaeano, entregue de maneira solene a cada um desses políticos que tem ajudado, ano após ano, não só com essas emendas que destinam recursos à Apae Anápolis, mas com a pauta permanente de buscar um reajuste adequado dos repasses junto ao Governo Federal. Neste sentido, o presidente Vander Lúcio destacou que tem recebido, de maneira especial, atenções especiais do prefeito Roberto Naves e do secretário de Saúde de Município, Lucas Leite, frente as ações para equacionar os custos.


Reconhecimento

Dessa vez, a Apae Anápolis recebeu, para a entrega do certificado, o deputado federal Rubens Otoni, que desde 2010 tem contribuído com a instituição através de emendas parlamentares e como cidadão, ajudando a equilibrar as contas, para que o serviço continue sendo prestado. Na sede do Laboratório, ele foi recebido pelo presidente e por vários outros colaboradores da instituição, entre eles, a superintendente Nancy Oliveira.

Durante seu discurso, Rubens Otoni declarou que na condição de representante político do Estado, já contribuiu de alguma forma com cada um dos 246 municípios goianos ao longo de sua trajetória política no Congresso Nacional e que, ao ajudar a Apae, continua esse trabalho, já que ela ajuda pessoas de todas essas cidades.

“Para mim é uma honra poder fazer a minha parte em favor da Apae e, enquanto puder, faço compromisso de continuar ajudando, por reconhecer a relevância dos serviços prestados na área da saúde e da educação especial”, declarou o parlamentar.

Equipe gestora da APAE Anápolis repassou ao deputado informações sobre a aplicação das emendas de sua autoria que foram destinadas à instituição.

Incerteza

Em seu pronunciamento, Vander Lúcio Barbosa entregou ao deputado Rubens Otoni uma prestação de contas de onde os recursos destinados por ele, nos últimos 10 anos, foram aplicados e reforçou mais uma vez a importância do apoio de colaboradores, sejam eles pessoas físicas, empresas, parlamentares ou os governos municipal e estadual.

Segundo o presidente, se por um lado existe uma incerteza sobre o valor que entra em caixa todos os meses na instituição, existe uma expectativa muito grande de que as doações continuem sendo feitas, dado o entusiasmo dos doadores.

SUS

Vander esclareceu ainda que 90% dos atuais custos gerais da Apae são pagos pelo SUS, mas que seria impossível levar adiante o trabalho, com a competência profissional e a qualidade dos resultados que os mesmos são feitos, caso a colaboração de pessoas como o deputado federal Rubens Otoni não existisse.

“É por isso que nossa gestão é tão eficiente. Queremos valorizar cada centavo confiado a nós. Prova disso é que a Apae Anápolis está no ranking das 100 melhores ONGs do país e considerada a melhor do Centro Oeste, segundo avaliação do Instituto Doar, em parceria com a Fundação Getúlio Vargas, Fundação Toyota do Brasil e Ambev”, conclui Vander Lúcio.